Paróquia de São Domingos do Arachá (xá) 1791

+A / -A

No século XVIII, bandeirantes aportaram nas terras do “Sertão da Farinha Podre”, hoje Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Os brancos que chegaram nesta região encontraram índios, na sua maioria da tribo dos Arachás e os negros também em quilombos. Na exploração das terras e no extermínio de tribos e quilombos, os brancos trouxeram também a religião católica e com ela a devoção ao santo espanhol, São Domingos de Gusmão. O nome do arraial, futura Araxá, foi São Domingos do Arachá (xá).

Em 1791, no dia 20 de outubro foi criada a freguesia com o nome do padroeiro. O primeiro vigário foi o Pe. Domingos da Costa Pereira. Até o pároco atual, mais de 50 sacerdotes geriram esta freguesia, Paróquia de São Domingos.

Pouco sabemos a respeito do trabalho de evangelização desta região. De acordo com a história da Igreja no Brasil poderemos dizer que no regime de padroado vigente (Igreja e Monarquia unidas), mais do que evangelizar pela palavra de Deus escrita, era ensinar a Doutrina Católica, fruto do Concílio de Trento e sacramentalizar os cristãos. Outro aspecto da evangelização desta época é a devoção aos santos, herança do Cristianismo da Península Ibérica. Esta herança permanece até hoje e ultimamente percebemos que existe uma volta acentuada desta maneira de evangelizar.

No século XIX, principalmente nas últimas décadas, a evangelização sofreu, também em Araxá, a influência dos bispos reformadores do Brasil. A evangelização valorizou em primeiro lugar o Clero, o ensino da Doutrina Católica e a sacramentalização nos moldes do Concílio de Trento. Como consequências temos a clericalização da Igreja, a reação até agressiva contra as outras religiões e a desvalorização da religiosidade popular considerada muitas vezes como superstição. Neste tempo os Sacramentos mais valorizados eram a Penitência e a Eucaristia, com uma ênfase enorme na Adoração do Santíssimo. Este modelo de evangelização na paróquia foi até o Concílio Vaticano II.

Em 1926, a paróquia é confiada à Congregação Salesiana. Os salesianos constroem o amplo templo que é hoje a igreja Matriz de São Domingos. Seguindo as normas do Vaticano, os salesianos continuaram a evangelização nos moldes tridentinos.

A partir do Concílio Vaticano II, novos métodos de evangelização são implantados na paróquia. A valorização e formação do leigo e as ações pastorais de conjunto serão as preocupações da Pastoral. Apesar da renovação do Concílio, a paróquia ainda foi liderada por movimentos. Se antes as Irmandades e Congregações lideravam a Ação Pastoral, agora, serão os Movimentos. Em ordem cronológica na paróquia predominaram o Movimento Familiar Cristão, o Cursilho, o Encontro de Casais com Cristo e, por último, a Renovação Carismática.

Atualmente a paróquia procura agir em diversas pastorais, sem desvalorizar os movimentos, mas dando novas formas a eles. Priorizamos as Pastorais Paroquiais.

Na atual Ação Pastoral, foram definidas em Assembléia cinco prioridades pastorais na paróquia: Pastoral Familiar, Catequese, Pastoral do Batismo, Pastoral dos Ministros da Eucaristia e Pastoral dos Idosos. Nas cinco regiões da paróquia o trabalho de evangelização é feito pelos leigos, maioria leigas, Irmãs Dominicanas e Franciscanas, dois Diáconos, o Pároco e dois padres salesianos. Procura-se hoje dar suporte aos leigos para que sejam evangelizados e evangelizem.

Estamos conscientes de que evangelizar é Memória e Profecia. Memória, atualização do que foi bom em termos de evangelização e correção das falhas de uma Igreja que nem sempre foi fiel à sua missão. Profecia é não cruzarmos os braços, ficarmos em triunfalismos do passado, mas criarmos novos métodos de evangelização.

A Paróquia de São Domingos fiel ao seu passado e ao carisma de seu Padroeiro tem consciência de que sua missão, mais do que nunca, é criar condições de anúncio e vivência do Evangelho nos diversos espaços sociais. É sua preocupação atingir o mundo moderno não com dogmas e disciplinas impostas por uma cultura, fruto de determinada época, mas tentar penetrar com o Evangelho de Jesus Cristo na atual cultura. Vinho novo em barris novos. Novos tempos, novos métodos e novas ações pastorais.

Se perdermos as ligações com o passado ficaremos sem História. Mas se perdermos as perspectivas de futuro deixaremos de ser sujeitos da História e mataremos a esperança própria do Cristianismo.

É missão da Paróquia de São Domingos do Araxá manter viva a fé em Jesus Ressuscitado agindo com justiça e solidariedade na sociedade de hoje e de amanhã.

Pe. Manoel Claro Costa – Pároco da Paróquia de São Domingos do Araxá

[voltar para INICIO]